Master Of Simplicity

O minimalismo e o pensamento positivo

FRASE3

Cada vez há mais estudos científicos confirmando a influência do pensamento positivo no mundo físico. Eu acredito na força interior para se concretizar diversos planos que à primeira vista poderiam até parecer impossíveis. Acredito ainda que o minimalismo tem uma forte relação com esta matéria.

Ter um pensamento positivo não se limita à capacidade de visualizar um final feliz, mas sim de acreditar nele plenamente. É conseguir enxergar todos os obstáculos e ainda assim sentir e saber com absoluta certeza que nada disso será limitação ou impedimento.

Outra característica importante é concentrar vivamente nesse objetivo e, como diria o Dr. Dean Radin, “a conclusão fundamental da nova física também reconhece que o observador cria a realidade” (expressão retirada do artigo “Físicos chocam o mundo ao afirmarem que nossos pensamentos afetam diretamente o mundo físico“)

Onde entra o minimalismo?

O estilo de vida minimalista se baseia na seleção do essencial. O que é importante para mim? Qual a minha prioridade? O que eu quero para mim? O que eu realmente gosto e me faz mesmo feliz?

Quando nos focamos em muitos objetivos e prioridades ao mesmo tempo, a nossa atenção e energia se dispersam. Há uma maior dificuldade em terminar os projectos ou parece que estão demorando mais. Mas quando nos focamos em apenas um ou dois projectos de cada vez, há uma série de factores que elevam os níveis de produtividade. Assim acontece com o pensamento positivo.

Uma pessoa com um estilo de vida minimalista seleciona para si o que realmente quer: sejam objectos, relações, projectos, etc.

A atenção e o foco são voltados para essas escolhas. Aqui temos meio caminho andado. Se ela ainda acreditar com todo o coração e positividade na realização dos seus sonhos, haverá uma maior probabilidade para isso acontecer.

As minhas histórias e experiências – dinheiro

Quantas vivências poderia partilhar aqui sobre este assunto! A primeira é sobre dinheiro.

Eu sou alfacinha, nasci e cresci em Lisboa. Ao terminar a universidade mudei-me para Braga. Tinha passado o ano a tocar com várias bandas, duas delas com tourné mais forte, o que me permitira fazer umas economias e tinha um contrato para tocar durante todo o Verão. Em Setembro fui chamada por uma das escolas onde tinha deixado currículo. A diretora prometeu-me horário completo nesse ano, porém teria de começar só com 3 turmas (um total de 6 horas semanais). Os meses foram passando e as economias escasseando. Em Janeiro recebi mais uma turma, ficando agora com 8 horas. Porém, o horário completo da professora que estava grávida não veio ainda e não havia sequer data prevista de quando ela colocaria baixa.

No Inverno não havia concertos e um horário de 8 horas semanais não pagava a renda. Fui informada então deste poder da positividade, da lei da atração e de como temos força para conseguir o que realmente desejamos. Li o livro do Segredo e resolvi seguir as instruções. Fiz download de um cheque fictício disponível no site do livro, imprimi e escrevi o valor da minha renda nele. Coloquei num lugar visível e todos os dias, eu diria quase todas as horas, imaginei pagando a renda certinho naquele mês, sem faltar nada.

Em menos de duas semanas recebi o telefonema de uma senhora que precisava de explicações de música para o seu filho. Eles não tinham ligação com a escola onde eu estava a lecionar. O filho estudava em outra escola de música e ela era apenas amiga, de uma amiga, de uma amiga…… que lhe passara o meu contacto. Comecei a dar aulas particulares em minha casa. Num curto espaço de tempo deu-se uma transformação: esta mãe apresentou-me os outros dois filhos que também começaram a ter explicações comigo e começaram a surgir mais colegas e contactos pedindo aulas de música. Consegui fazer o total das despesas (não só da renda) ainda antes de receber o tão prometido horário completo que veio depois da Páscoa, no final de Abril.

As minhas histórias e experiências – vida

Talvez a maior surpresa na minha vida tenha sido vir para o Canadá. Como? Sem contactos, sem garantias, sem conhecimento… Aqui eu fui mesmo minimalista. Eu sabia que tudo o que eu estava possuindo naquele momento não estava nem perto do que eu precisava para mim.

Depois que fui “dispensada” da escola onde assinei mais de 3 contratos, eu sabia que a minha vida tinha de mudar. Eu amo dar aulas, eu sempre estudei o processo de aprendizagem e a metodologia para cada aluno dos mais de 100 alunos que tinha anualmente. Mas não acreditava que numa profissão que se ame tanto se tivesse que se passar por tantos problemas como se verifica no sistema de educação em Portugal.
O meu desejo foi “uma condição de vida melhor, estável e acima de tudo onde o que eu fizesse pudesse ser valorizado”.

Sinceramente, todos os contactos ou alternativas que me pareceram mais fáceis foram exatamente aqueles que ficaram em vão. Ainda em Portugal tive pessoas dizendo para esperar mais uns meses enquanto tinha subsídio de desemprego. Outras não entendiam porque eu estava a vender todos os bens, inclusive o meu carro. Ouvi de tudo, mas segui o coração. Eu não me acomodo fácil quando não estou contente, muito menos me consolo com palmadinhas nas costas quando o que eu estou vivendo me está a tornar infeliz. Pesquisei, procurei e estudei muito toda a mudança. Me concentrei em pleno na palavra que desejara esse ano “Kaizen” (mudança para melhor). Solicitei um visto para o Canada e a aprovação surgiu.

Aqui no Canadá consegui em 6 meses uma promoção de chefe de departamento para um posto superior, para o meu orgulho, alegadamente devido à minha organização e dedicação, quando em 10 anos de dar aulas em Portugal só houve desilusões por parte do sistema educacional e das falhas de pagamento. Por falar nisso, aqui o pagamento ocorre todo o dia 1 e 15 de cada mês, não falha nem sequer na hora em que é feito nem em dia que precede o feriado. O meu desejo foi mais que satisfeito. E isto para não falar de mais dezenas de aspectos que me deixariam a escrever aqui a semana inteira.

As palavras chave

É fácil ser-se negativo, dizer que nada de bom acontece, que sempre se chega atrasado, que o país está uma miséria, que o reumático nas costas não passa nunca…

Faça um esforço por trazer energia positiva, passe o dia dizendo coisas boas, imaginando os seus sonhos acontecendo, agradecendo por tudo o que já conquistou e se focando nas concretizações que deseja mesmo. Tenha fé, confiança e vontade. Tente, e não desista. Pode demorar mas vem!

One Reponse

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

EnglishPortuguese